Mais ZoomMenos Zoom

Cântico Negro

segunda-feira, 30 de maio de 2011






Cântico Negro
José Régio


"Vem por aqui" - dizem-me alguns com os olhos doces
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui!"
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...
A minha glória é esta:
Criar desumanidade!
Não acompanhar ninguém.
- Que eu vivo com o mesmo sem-vontade
Com que rasguei o ventre à minha mãe.
Não, não vou por aí! Só vou por onde
Me levam meus próprios passos...
Se ao que busco saber nenhum de vós responde
Por que me repetis: "vem por aqui!"?
Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí...
Se vim ao mundo, foi
Só para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
O mais que faço não vale nada.
Como, pois sereis vós
Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem
Para eu derrubar os meus obstáculos?...
Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,
E vós amais o que é fácil!
Eu amo o Longe e a Miragem,
Amo os abismos, as torrentes, os desertos...
Ide! Tendes estradas,
Tendes jardins, tendes canteiros,
Tendes pátria, tendes tetos,
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios...
Eu tenho a minha Loucura!
Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...
Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém.
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.
Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou.
É uma onda que se alevantou.
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou.
- Sei que não vou por aí!

Cigano

sábado, 28 de maio de 2011




No tropel do meu pensamento
Habita teu olhar profano;
Que nas patas aladas do firmamento
Descreve-me teu corpo cigano.

Arrebata-me sonhos e devarios,
Dominando meus desejos e vontades;
Carregando-me pela mansidão dos rios,
Transformando meu ser em tempestades.

Sufocado em minha garganta
Silencioso grito desesperado do amor;
Uma doída saudade que é tanta,
ausência de doce amargo sabor.

Quando na realidade tenho que viver,
Meus olhos buscam teu ser amado.
A aproximação de te rever,
Cicatriza tudo como passado.

Tuas mãos presenteiam-me estrelas coloridas,
Em teu olhar a beleza do universo.
Ambos sabemos assim, que nossa vida
É cântico de poema em perfeitos versos.

Minha Mãe, Meu Mundo

quarta-feira, 25 de maio de 2011


"Ela tem a capacidade de ouvir o silêncio.
Adivinhar sentimentos.
Encontrar a palavra certa nos momentos incertos.
Nos fortalecer quando tudo ao nosso redor parece ruir.
Sabedoria emprestada dos deuses para nos proteger e amparar.
Sua existência é em si um ato de amor.
Gerar, cuidar, nutrir.
Amar, amar, amar...
Amar com um amor incondicional que nada espera em troca.
Afeto desmedido e incontido, Mãe é um ser infinito".

Trecho do livro "Minha mãe, Meu mundo"
de Anderson Cavalcante e Simone Paulino



Email Dois

quinta-feira, 19 de maio de 2011


Email de 22 de setembro de 2009,
postada a uma amiga muito amada
que a mãe havia transcendido.
Este email completa o anterior.
Foram retirados dados 
pessoais da minha amiga.
Não será corrigido, pois foi escrito
no calor de uma emoção de muita dor
por qual eu também passava.



Amiga,
Procure ser mais tolerante com você mesma. Você é um trapo... Você é o que restou de uma grande explosão... Você é o que sobreviveu (querendo ou não)...Você esqueceu o nome da sua filha? Ela não se importa; ela prefere ser chamada de filha, filhinha, amorzinho, ou qualquer outra coisa; o mais importante não se ausentou o seu amor por ela... Eu me esqueci, eu não entendi o que me falavam, eu calei, me ausentei de mim, eu chorei... Eu aceitei que aquilo era como eu iria conseguir caminhar depois do terremoto; e por tudo que eu tinha passado; eu tinha o direito sim de não me cobrar... Eu segui como deu...
Uma coisa me falaram, na verdade, deixaram recado na caixa do celular, porque eu o desliguei por quatro meses, sai da internet, e fiquei fechada no quarto durante todo esse tempo...
UM DIA DE CADA VEZ. E agora é assim para você. Não há condições físicas e mentais para você definir, tomar decisões, planejar agora. Nada que seja definitivo você deve fazer. Viva apenas o hoje, são as suas condições agora. A casa de XXXXX vai por enquanto ficar lá. Daqui um tempo, quando você sentir que está melhor você vai pensar sobre isso. O amanhã é amanhã... Viva o agora... É um momento para você conversar sim com a sua mãe, mas é um momento também para você aprender a conversar com Deus...
Minha avó era uma mulher muito sabia, ficou viúva com três filhos e casou com meu avô, viúvo com cinco filhos, formaram uma grande e linda família e minha mãe era a única filha dos dois... Ela talvez intuindo alguns acontecimentos da vida de minha mãe (muitos anos depois de sua morte); disse a ela: "filha, se um dia você tiver um problema muito grave, que você fique muito desesperada; não vá atrás de ninguém, nem dos seus irmãos; apegue-se com Deus com unhas e dentes, e ele te trará uma resposta e uma solução...."
Minha mãe sempre dizia: quem tem mãe tem tudo, quem não tem mãe é órfão... Eu achava a frase engraçada e lógica... Infelizmente quando eu vivi essa frase eu a completei: quem tem mãe tem tudo, que não tem mãe é órfão da vida....
Eu descobri que nos momentos difíceis, eu tinha que me apegar com Deus, com unhas e dentes... E ele sempre me respondeu e encaminhou...
Eu entendi que minha mãe era um Deus vivo que cuidava de mim, pois o amor, o desvelo, a renúncia amorosa, o perdão, isso tudo nela era uma manifestação de Deus... Isso é a risada da sua mãe, é toda alegria de Deus, isso é a cumplicidade da sua mãe, é a sua união a Deus, isso é o amor da sua mãe, é o amor de Deus...
Não precisa ir a Igreja, nem a centro espirita, nem a lugar nenhum... Onde você estiver Deus vai lhe responder, amparar, encaminhar, e amar; pois foi Ele que lhe deu essa mãezinha maravilhosa para cuidar de você...
Fale com Ele, fale com ela, siga a sua intuição, siga o seu coração... Quando digo que é um momento mágico, realmente o é; porque a dor nos leva em busca da nossa própria espiritualidade. E aquilo que no principio parece um grito de desespero (Socorro meu Deus!!!), nos espanta muito quando percebemos que existe uma resposta...E aos poucos vamos aprendendo a confiar e a crescer...
Tudo na vida é bom, mesmo o que nos parece horrível; depois de um tempo percebe-se que foi muito bom...
Eu me lembro de quando eu me formei como advogada, comecei a advogar, e fiquei apavorada com um dos primeiros processos empepinados, que me abracei com ele dentro das escadarias de um prédio, sentei e chorei... Eu estava apavorada... Eu venci a causa... Lembro-me disso com carinho, tudo é difícil na primeira vez...
Você está formada, sua Mãezinha e Deus, confiam plenamente que você pode e consegue exercitar tudo que lhe foi ensinado muito bem; mesmo que você sente nos degraus da escada de tanto medo, você vai vencer a causa; e vai crescer.
Deus, apenas falou a sua mãe: "Sei que ela esta pronta para caminhar sozinha, venha vamos assistir isso, ela agora consegue, estaremos aqui sempre que ela precisar". Agora Ele vai ver você perdoando assim sem muito esforço como sua mãe lhe mostrou, amando a sua filha com um amor incondicional, como sua mãe, e tantas outras lições que ela vivenciou para você.
Você não perdeu a sua mãe, ela apenas TRANSCENDEU.
Depois de tudo isso, eu ainda gostaria de lhe dizer: eu também perdi a minha memoria... E sabe eu gostei. Esqueci muita coisa ruim que passei, tudo isso passou, sumiu, evaporou.
Agora cedo, eu acordei as 5hs, e fiquei pensando... Quando eu mandei o email para você, eu fiquei com medo que não me entendesse, sei lá. Quando você respondeu, eu fiquei muito feliz; na verdade esses emails fazem bem a você e a mim também; é como eu falasse a mim também... E estava me lembrando dos livros que você pediu para ler e veio em minha mente que o livro mais importante para você ler agora eu não havia escrito; eu intui isso e gostaria muito que você lesse, tem em ebook, eu tenho em papel:
- Autobiografia de um Yogue - Paramarhansa Yogananda
É a vida dele, escrita por ele. Esse livro vai lhe fazer bem, inclusive ele conta como sofreu e entendeu a morte da mãe dele ao qual ele era tremendamente ligado. Sei que depois que você ler essa historia você vai se sentir melhor, e um pouco mais revigorada para caminhar.
Consegui fazer o download, e anexar... E olha que a net hoje está difícil.
Perdi até a linha da meada que estava escrevendo...
Mas vou manda isto logo, porque quero esse ebook em suas mãos agora.
Beijos,
Ledha



Email Um

quarta-feira, 18 de maio de 2011



Email de 20 de setembro de 2009, 
postada a uma amiga muito amada
que a mãe havia transcendido. 
Não será corrigido, pois foi escrito
no calor de uma emoção de muita dor 
por qual eu também passava.



Querida
O começo é muito difícil, não é uma revolta porque ela foi, dentro de nós sabemos que ela está feliz, bem, junto a pessoas que ela ama (mãe dela, pai, irmãos); o que dói é que nós ficamos... É como se tivessemos perdido o trem na estação... Você vai sentir de alguma forma uma comunicação sutil, um sonho onde uma frase marca, um pensamento inesperado com alguma coisa que ela lhe diria para uma certa situação, e coisas do gênero... Você sabe que de alguma forma nada acabou ou morreu, apenas é como quando andamos e viramos a esquina e deixamos de ver o outro lado, mas ele está lá... Dói, dói, dói... E lhe digo infelizmente, dói cada vez mais, a dor só aumenta... O que posso dizer de bom, é uma dor que você acostuma a viver com ela, é uma ferida aberta não cicatriza, mas se torna convivivel... Minha sogra me havia falado que as pessoas melhoram por volta de dois anos. Eu achei que ela tinha razão, foi quando eu consegui falar dela sem que as lágrimas rolassem na minha face, só no meu coração.
Eu fiquei muito só, ela era a minha confidente; eu também vim morar num sitio, com meu marido, prático e objetivo, e acabei readquirindo um habito de criança, uma criança que fui que brincava sozinha... Eu voltei a falar sozinha... Depois de um tempo eu percebi que falava com ela, muitas vezes as mesmas brincadeiras que fazia com ela, as mesmas observações que faria como se ela tivesse ao meu lado... Bem em determinado momento, eu passei a entender que ela estava ali... E é engraçado porque às vezes eu começo a falar com ela algo que estou preocupada ou sei lá analisando, e dentro de mim vem uma frase ou uma resposta típica dela, e às vezes, eu ainda respondo: ”ah mãezinha, daqui a pouco você vai dizer que acredita em papai noel e historia da carochinha...“ Eu falava isso quando achava que ela estava amenizando algo, ou analisando com muita inocência...
Eu fiquei assim... E quando o meu sapato aperta, eu grito: “mãezinha o que eu faço???“ E pode ter certeza a resposta se encaminha para mim...
Não a vejo, mas ela me vê. Ela me ampara, ela me cuida, ela me dá força para continuar esta minha pequena jornada...
Ninguém morre quando é amado, esse alguém só sai do corpo dele e de alguma forma milagrosa se instala no nosso corpo, no nosso coração e na nossa mente. E você percebe que a vida daquela pessoa valeu a pena, porque ela conseguiu de alguma forma deixar uma marca amorosamente da sua historia.
Minha mãe dizia que levou 16 anos para aceitar a morte da mãe dela, eu aceitei a morte da minha mãe no minuto que ela transcendeu, mas sei que por toda a minha trajetória nunca mais vou recuperar aquele sorriso livre que tinha, pois uma parte de mim morreu com ela.
Mas sinceramente, com todo o meu coração prefiro assim; que ela não tenha passado as agruras de passei com meu pai, e que hoje tivesse ao lado dele se sacrificando em cuidados que ele necessita.
Quando minha mãe morreu eu comprei uma corrente e um pingente que nunca mais tirei do pescoço. É assim: um coração e uma metade dele é cheio de umas pedrinha que parecem lagrimas e mandei gravar: “Daisy, mãe amada, inesquecível, insubstituível.”
Tenha a certeza que você vai melhorar, não hoje, não já, mas vai. E aí você vai também de alguma forma partilhar o seu corpo e a sua alma com a sua “mãinha”, que agora está sorrindo, olhando para você, com muito orgulho da filhinha que ela tem, principalmente que faz uma macarronada maravilhosa...
Porque você não faz uma bela macarronada para saborear por ela?
Não leve a vida tão a sério, ela não é seria, ela é magica, é só uma questão de saber ver.
Com todo o meu amor, da sua irmãzinha e amiga,
Ledha


Pense em Mim




 
 G.Perico, I.J.


Se você me ama, não chore,
se você conhece o mistério insondável
do céu onde me encontro...
Se você pudesse sentir o que eu sinto e vejo
nesses horizontes sem fim
e nesta luz que tudo alcança e penetra,
você jamais choraria por mim.
Estou agora absorvido pelo encanto de Deus,
pelas suas expressões de infinita beleza.
Em confronto com essa nova vida
as coisas do tempo passado,
são pequenas e insignificantes.
Conservo ainda todo meu afeto por você
e uma ternura que jamais
lhe pude, em verdade, revelar.
Amamo-nos ternamente em vida,
mas tudo era então muito fugaz e limitado.
Vivo na serena expectativa de sua chegada,
um dia...entre nós.
Pense em mim assim: nas suas lutas pense
nesta maravilhosa morada,
onde não existe a morte
e onde, juntos viveremos no enlevo mais puro
e mais intenso
junto á fonte inesgotável de alegria e do amor.
Se você verdadeiramente me ama,
não chore mais por mim
* Eu estou em paz *