Mais ZoomMenos Zoom

Crônica de Direitos

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Eu entendo que a vida é um aprendizado. Por isso mesmo acho que depois de um tempo adquirimos certos direitos que nos são caros, e ficam arraigados em nós.
A segurança,  é findo o tempo de provas, onde os outros pensam é o meu vale como meu valor. Aprendi o meu próprio valor, adquiri respeito pelo que sou, nada tenho que provar a ninguém; e quem não o percebe é limitado ou burro, e a culpa não é minha.
Uso as roupas de acordo com a minha moda, o que gosto, o que quero; não faço mais parte de um grupo idêntico, em que nem se consegue diferenciar os rostos de tanto que se copiam; sou um ser único. Eu apareço na multidão, está se usando só cinza, pois hoje quero o verde, e daí? Estou liberta dessas regras inúteis, que deveria mais se preocupar com os que não têm o que vestir, ou comer; do que ficar calcando na cabeça dos outros que agora usa sapato sem meia.
Posso sempre falar o que penso, talvez eu ainda atenue na forma que eu falo, mas me perguntou o que acho eu respondo com a mais pura verdade. Isso agora chama de sabedoria ou experiência. Quando era jovem diziam que era delírio...
Escuto o que quero, pois o que não quero, passam pelos meus ouvidos e não deixam sua marca. Posso até dizer, num ímpeto de brincadeira: “como? Acho que não estou escutando direito.”
Não me preocupo com o amanhã, descobri que o amanhã é sempre diferente do que imaginei ou temi; então para que se preocupar... Se for bom ótimo, se for mal, procuro ver seu lado bom, porque garanto que vai me ensinar alguma coisa, por isso também é bom.
Ficar só, muitos dizem: “que coisa horrível!” Horrível nada! Passei anos me conhecendo, e sabe eu gostei de mim, o que não gostei fiz uns ajustes e pronto: “Voilá!” Tem aquele dia que quero apenas estar comigo, na minha paz, no meu silêncio, no meu interior, no meu mundo... Mas as pessoas cismam de ligar no meu celular, tentando me obrigar a ouvi-las. Não, não, não!!! Respeitem as minhas escolhas. Elas são minhas. Passei anos da minha vida, fazendo as escolhas dos outros; diziam: “faça assim.” Sorria, é educado, mesmo que seja para um chato ou sacana, e você saiba de trilhões de falcatruas dele. Apenas sorria e seja educada. Bem continuo educada, mas não comprimento pilantras, nem sequer os vejo.
Passei anos da minha vida ouvindo pessoas desarrazoadas, que me monopolizava para provar que tinha razão em algo que ela mesma sabia que estava errada... Isso chamava de educação, isso hoje chamo de loucura.
Acabou, quer conversar comigo, converse também com sabedoria, seja humilde e diga: fiz algo horrível, você nem imagina....
Quero sim conversar, quando sentir que estou num bom astral, para brincar, sorrir, gargalhar, e passar com boas coisas as pessoas. Quero falar, com meus amigos sinceros quando precisar de um conselho, de um afago, ou de um puxão de orelha.
Eu me liberto das regras inúteis dos homens. E me entrelaço fortemente a todas as regras de Deus, essa é minha meta melhorar como ser humano, Ele me deu uma vida para que eu aprendesse no mínimo: amai-vos uns aos outros. E é isso que estou tentando fazer.
Estou livre da culpa e do julgamento errôneo dos outros. Perdoo todos, e peço também perdão nos meus erros. Estamos zerados.
Nada mais me prende nada mais me importa, o passado acabou, e hoje é um novo dia para ser bem vivido.
E os que ontem me chamavam de louca, hoje me admiram chamando de excêntrica.

1 comentários :

Samydeive disse...

To seguindo segue o meu tb certo ?

http://topvirtuall.blogspot.com

Da uma passada lá

Postar um comentário

NAMASTE NAMASTE NAMASTE NAMASTE NAMASTE NAMASTE NAMASTE NAMASTE NAMASTE NAMASTE NAMASTE NAMASTE NAMASTE NAMASTE NAMASTE NAMASTE